Vantagens da produção de ovinos sem volumoso

15/07/2014 10:26

A tecnologia criada há três anos, tornou-se uma alternativa de obter lucros consideráveis com a ovinocultura. A produção de cordeiros sem volumoso apresenta algumas vantagens que merecem atenção:

1. Custo da dieta
Mesmo que produzido na fazenda, o custo do volumoso tem elevado de forma considerável, chegando ao ponto de observar no mercado que a maioria dos volumosos, o kg do nutriente no volumoso está mais elevado que no concentrado;

2. Diminuição da mortalidade
A ovinocultura sempre apresentou elevado índice, principalmente devido à verminose, que é originada do pastejo;

3. Eficiência no tempo
Este é um item bastante relevante nos dias atuais, pois não se necessita só produzir muito, mas também em pouco tempo, diminuindo a correção monetária do capital mobilizado e elevando a sustentabilidade do produtor;

4. Produto de qualidade
Apesar do Nordeste ser referência na produção de pequenos ruminantes, a qualidade deste produto ainda está muito aquém do ideal em decorrência da elevada idade ao abate e longas distâncias percorridas para a alimentação, sendo que os principais restaurantes e churrascarias do NE ofertam em seu cardápio um ovino oriundo, normalmente, do Uruguai, o que é uma vergonha para a região.

O sistema de produção sem volumoso é recomendado para borregos logo após o desmame. Baseia-se na oferta de somente um concentrado, confeccionado com milho moído (56%), torta de algodão farelada (37%) e premix vitamínico-mineral-tamponante (7%).

O consumo do desmame ao abate (15 kg de carcaça ou 35 kg de peso vivo) é de aproximadamente 1 kg/dia para ganhos de 300 g/dia. Isso tem promovido uma lucratividade mensal de R$ 40,00/animal. Este valor é um divisor de águas para a ovinocultura, pois nunca foi possível um lucro deste na atividade. A área recomendada é 2 m2/animal com 15 cm lineares de cocho por animal, sem esquecer de água e sombra.

Sestaca-se que este protocolo foi criado com o intuito de atender os quatro pontos supracitados, e poderá ser potencializado se utilizado o cruzamento industrial (Matrizes Santa Inês x Reprodutores Dorper), creep feeding (fornecimento de concentrado aos lactentes) dentre outros.


Autor: Hermógenes Santana - Zootecnista. Doutor em Zootecnia pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB). Professor efetivo da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), lecionando no curso de Bacharelado em Zootecnia.

 

 

—————

Voltar


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!