Jurisprudências Sobre Responsabilidade Técnica

Resultado de imagem para download pdf
 

Estas jurisprudências advém de um conjunto de decisões tomadas pelos tribunais nos quais demonstram que a Responsabilidade Técnica de qualquer empreendimento ligado à criação, comercialização, manutenção, manejo de animais ou manufatura de seus produtos e subprodutos, não é exclusiva dos Médicos Veterinários. Estes empreendimentos não desenvolvem atividades peculiares à medicina veterinária, conforme exige o o artigo 1º da lei nº 6.839/80. 

 

______________________________________________________________________________________________________________________________

Responsabilidade Técnica

Responsável Técnico (RT)

É o profissional legalmente habilitado, responsável pela implantação e monitoramento de programas da qualidade e segurança dos produtos elaborados e/ou comercializados no estabelecimento, bem como dos serviços inerentes à atividade do profissional, perante  aos órgãos oficiais e aos usuários.

Responsabilidade Técnica

É a atividade que trata do exercício profissional objetivando a implantação, implementação e monitoramento de programas que assegurem ao consumidor final a qualidade dos produtos e serviços ofertados e da saúde animal.

_________________________________________________________________________________________________________________________________

 

LEI FEDERAL QUE REGE A OBRIGATORIEDADE DA RESPONSABILIDADE TÈCNICA:

Brastra.gif (4376 bytes)

Presidência da República
Casa Civil
Subchefia para Assuntos Jurídicos

LEI Nº 6.839, DE 30 DE OUTUBRO DE 1980.

 

Dispõe sobre o registro de empresas nas entidades fiscalizadoras do exercício de profissões.

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, faço saber que o CONGRESSO NACIONAL decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Art. 1º O registro de empresas e a anotação dos profissionais legalmente habilitados, delas encarregados, serão obrigatórios nas entidades competentes para a fiscalização do exercício das diversas profissões, em razão da atividade básica ou em relação àquela pela qual prestem serviços a terceiros.

Art. 2º Esta Lei entrará em vigor na data de sua publicação.

Art. 3º Revogam-se as disposições em contrário.

Brasília, em 30 de outubro de 1980; 159º da Independência e 92º da República.

JOÃO FIGUEIREDO
Murillo Macêdo

Este texto não substitui o publicado no DOU de 3.11.1980

 

 

Art. 5, inc. II e XIII da Constituição Federal de 88:

Constituição Federal de 1988

 
 

Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:

 

II - ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei;

XIII - é livre o exercício de qualquer trabalho, ofício ou profissão, atendidas as qualificações profissionais que a lei estabelecer;
 
 

"É  garantia fundamental do indivíduo exercer qualquer atividade profissional, exigindo-se apenas que haja qualificação profissional para tanto", in verbis : CF - Art. 5º, XIII - é livre o exercício de qualquer trabalho, ofício ou profissão, atendidas as qualificações profissionais que a lei estabelecer" (Precedentes STF)

 

"Somente a lei em sentido formal pode estabelecer requisitos para o exercício de trabalho, ofício ou profissão" (Carta Magna, art. 5º, XIII), sendo inadmissíveis exigências previstas em atos normativos infralegais. (Precedentes do STF).

 

 "O livre exercício das profissões está consignado como princípio constitucional (art. 170) portanto qualquer ato normativo que limita a autorização para o exercicio profissional é ilegal" (TRF da 3ª Região).

 

Zootecnista Responsável Técnico

 

    Responsável Técnico é o cidadão habilitado, na forma da lei que regulamentou sua profissão, ao qual é conferida atribuição para exercer a responsabilidade técnica de um empreendimento, projeto ou serviços (LEI Nº 6.839, DE 30 DE OUTUBRO DE 1980.)

 

    Em qualquer empreendimento ligado à criação, comercialização, manutenção, manejo de animais ou manufatura de seus produtos e subprodutos, toda a prestação de serviço: estudo, projeto, pesquisa, orientação, direção, assessoria, consultoria, perícia, experimentação, levantamento de dados, parecer, relatório, laudo técnico, inventário, planejamento, avaliação, arbitramentos, planos de gestão, demais atividades descritas pela Lei Federal nº 5.550, de 4 de dezembro de 1968  ou instituidas pelas Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de graduação em Zootecnia pela Resolução CNE/CES Nº 4, de 2 de fevereiro de 2006, bem como às ligadas ao meio ambiente e à preservação da natureza, e quaisquer outros serviços na área da Zootecnia ou a elas ligados, realizados por pessoa física, ficam sujeitos à Anotação de Responsabilidade Técnica (ART). 

 

    A Anotação de Responsabilidade Técnica é o ato que atribui ao profissional a RT específica sobre a realização de determinada atividade, como a construção de uma obra, a fabricação de um produto, a prestação de um serviço etc. Embora não se confunda com o próprio registro, que consiste na autorização genérica para o exercício da profissão, a ART deriva do registro e apenas será necessária caso a atividade desenvolvida esteja compreendida no âmbito daquelas privativas do profissional inscrito no conselho profissional.  (Precedente STJ).

Logo Zootecnia Negativo

    A população, razão central de um país deve e tem que ser salvaguarda, em todos os aspectos, no que concerne à saúde, segurança e bem estar social, mesmo porque, o interesse público se sobrepõe sempre a todo e qualquer interesse privado.

 

    O ordenamento jurídico de um país, antes de tudo, é revestido de bom-senso, no firme propósito de bem nortear as relações humanas.

 

    E nesse sentido, a normatização da responsabilidade técnica tem se direcionado, até porque, o escopo maior de tal disposição não se prende, tão somente, ao controle de qualidade, mas, também a garantia do consumidor, de que o produto por ele consumido, originou-se de fonte confiável e que não lhe causará nenhum malefício, e eis que, encontra-se sob a responsabilidade técnica do profissional competente para tanto.

 

                              A responsabilidade técnica não é, e nem pode ser, encarada como uma fonte geradora de empregos e rendas para os profissionais, posto que isto é mera consequência. A finalidade precípua desse instituto é a proteção da população.

 

    Não houvesse a responsabilidade técnica, seria o mesmo que garantir a perpetração da impunidade, conquanto, sabido e ressabido, que, na eventualidade de ingestão, por um consumidor, de um produto inepto ao consumo, caberá ao responsável técnico, a responsabilidade subjetiva, nas penas da lei, cabendo à empresa, unicamente, a responsabilidade objetiva indenizatória, ou seja, o responsável técnico responde criminalmente pelo fato ocorrido, restando à empresa a responsabilidade civil. Em última análise, em admitindo-se a hipótese da necessidade de responsabilidade técnica, estar-se-ia preceituando que o crime não seria punível, na casualidade de ingestão por um consumidor de um produto inepto que desse causa à sua morte.

 

    O responsável técnico responde pela aptidão do produto ao consumo, assumindo para si a responsabilidade por todo e qualquer dano, que, porventura, esse possa vir causar à população, no âmbito, é óbvio, de sua área de responsabilidade.

 

    Invocaremos as normas reguladoras da matéria, objetivando uma maior compreensão da relevância da responsabilidade técnica, vejamos:

 

Rege o artigo 1º da lei nº 6.839/80, o seguinte:

 

"O registro de empresas e a anotação dos profissionais legalmente habilitados, delas encarregados, serão obrigatórios nas entidades competentes para a fiscalização do exercício das diversas profissões, razão da atividade básica ou em relação àquela pela qual prestem serviços a terceiros".

 

    As expressões contidas no capítulo do dispositivo acima citado, quando preconizam - "A anotação dos profissionais legalmente habilitados, delas encarregados" - referem-se, cristalinamente, à responsabilidade técnica. O que: a responsabilidade técnica do estabelecimento ficará a cargo do profissional a quem compete a sua atividade.

 

                                       As atividades da competência do zootecnista estão requerimentado  na Lei nº 5.550/68, artigo 3º.

    O exercício das atividades e funções previstas pelos artigos supra mencionados, quando a cargo de particulares, nada mais é do que exteriorização da responsabilidade técnica.

 

    Portanto, conclusivamente, patenteou-se a necessidade e a esfera de responsabilidade do profissional que se responsabiliza tecnicamente por um produto, tendo em vista que, é na confiança neste que a população o consome, na plena certeza de estar segura e certa de sua aptidão, e, por ser assim, não lhe causará nenhum malefício; bem como aquelas estabelecidas pela legislação para produtos veterinários e destinados a alimentação animal, entre outros.

 

    O Responsável Técnico (RT) deve executar suas atribuições em consonância com o Serviço de Inspeção Oficial, acatando as normas legais pertinentes, ciente de que as atribuições legais de Inspeção Sanitária Oficial são de competência do Médico Veterinário do Serviço Oficial, juridicamente distinta das ações da função técnica (RT).

 

    As legislações federais regulam que ao médico veterinário cabe atuar na inspeção higiênico-sanitária, mas não dispõem que a responsabilidade técnica seja exclusiva desta profissão e que a empresa tenha que ter registro no CRMV, tanto que o próprio Serviço de Inspeção Federal – SIF não faz exigência de profissional da medicina veterinária como responsável técnico pelas empresas de produtos de origem animal, em conformidade com o que esclareceu o Diretor do DIPOA por meio do Ofício GAB. DIPOA nº 135/2002, de 17/10/2002 e do MEMO MAPA - DIPOA nº 154/2010, com o parecer jurídico da Advocacia Geral da União :

001b MAPA memorando_154_2010_rt_empresas_sob_SIF.pdf (236821)
001a MAPA oficio DIPOA 135 2002.pdf (86342)

 

    O art. 22 da Constituição estabelece como competência privativa da União legislar sobre organização do sistema nacional de emprego e condições para o exercício de profissões. Assim, não é permitido a nenhum Conselho Profissional, por mera resolução, restringir o exercício profissional.

_________________________________________________________________________________________________________________________________

 

Logo Zootecnia Positivo

    O RT é o profissional que vai garantir à empresa contratante, bem como ao consumidor, a qualidade do produto através do serviço prestado, respondendo CIVIL E PENALMENTE por possíveis danos que possam vir ocorrer ao consumidor, uma vez caracterizada sua culpa (por negligência, imprudência, imperícia ou omissão). O RT não será responsabilizado pelas irregularidades praticadas pelas Empresas, desde que o profissional comprove ter agido em conformidade com suas obrigações.

__________________________________________________________________________________________________________________

 
 
 

Brastra.gif (4376 bytes)

Presidência da República
Casa Civil
Subchefia para Assuntos Jurídicos

LEI Nº 5.550, DE 4 DE DEZEMBRO DE 1968.

Mensagem de veto

Dispõe sôbre o exercício da profissão Zootecnista.

 

 

Resolução CNE/CES Nº 4, de 2 de fevereiro de 2006
Aprova as Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de graduação em Zootecnia e dá outras providências

 

 

RESOLUÇÃO CRMV SP Nº 1753 DE 16/10/2008

Aprova o “Regulamento Técnico-Profissional” destinado ao Médico Veterinário e ao Zootecnista que desempenham a função de Responsável Técnico junto a estabelecimentos que exercem atividades atribuídas à área da Medicina Veterinária e da Zootecnia.

clique aqui

 

MANUAL DE RESPONSABILIDADE TÉCNICA E LEGISLAÇÃO CRMV - SP

clique aqui