Zootecnista maximiza resultados na pecuária através da ultrassonografia de carcaças

05/04/2016 14:48

Em momentos como o que se está vivendo hoje no país, onde a restrição de créditos e insegurança dos rumos da economia norteiam nossas ações nas empresas, a gestão faz toda a diferença.

Muitas vezes o simples ato de alocar capital e esforços, ou até mesmo deixar de perder pode ser considerado um ganho significativo.

Nestas horas vemos que insumos como conhecimento, planejamento e tecnologias de aplicação diretas podem otimizar recursos empreendidos e resultados.

Um exemplo seria a utilização de ultrassonografia na pecuária de corte, esta técnica vem sendo usada em larga escala em trabalhos ligados a reprodução para diagnostico precoce de gestação, sexagem fetal entre outras funções.

Porém, a ultrassonografia de carcaça pode trazer diversos ganhos para a evolução e desempenho de sistemas de produção.

Segundo o Zootecnista, Leandro Cardoso, que realiza pesquisas sobre a utilização desta ferramenta em seu pós-doutorado,  a ultrassonografia de carcaça é a forma mais precisa e eficiente de avaliar um animal vivo e obter informações sobre o rendimento e engorduramento da carcaça, rendimento dos cortes, marmoreio entre outras medidas.

Ele ainda afirma que o uso desta ferramenta já é rotina nas fazendas produtoras de genéticas, pois estas medidas são fundamentais para os programas de melhoramento animal.

Cardoso também menciona a utilidade da medição da espessura de gordura em alguns locais como músculo longissimus dorsi e na picanha para identificar deposição e velocidade de acabamento dos animais.

Hoje há programas de bonificação de carcaças que chegam a 10 % de acréscimos no valor final.

Se considerarmos o preço do boi em R$10,30/kg de carcaça, representaria um acréscimo de R$ 1,03/kg de carcaça.

Mas para atingir esta bonificação é necessário carcaças de 240 kg, idade inferior a 4 dentes e no mínimo gordura 3, o que representa de 3 a 6 mm de espessura, o que representaria uma diferença de R$ 247,20/carcaça.

Leandro menciona que o custo de uma avaliação de gordura fica ao redor de R$10,00 a 12,00 por animal.

As medidas também podem ser utilizadas para fazer subdivisão de lotes para priorizar os mais próximos do abate e determinar as distintas dietas caso haja interesse de acelerar o abate dos de mais.

No exemplo acima vimos a viabilidade da técnica quando comparamos o custo de 1 a 1,5 kg para a realização da medição e uma bonificação de 24 kg referente aos 10%.

Pode-se considerar também a redução de custo com a manutenção de animais que já podiam ter sido abatidos, que no caso representaria aumento de custo com a dieta além da gordura ser o tecido mais caro a ser depositado, devido a redução da conversão alimentar conforme o grau de acabamento do animal.

Fonte - Site Lance Agronegócios.