Zootecnista demonstra quanto custa a recria de um bezerro

15/04/2016 14:44

160330-carta-insumos-1

Uma nova safra de bezerros começou a chegar ao mercado, filhos de vacas e novilhas que emprenharam no começo da estação e monta 2014/2015. Esse processo, de aumento de oferta destes animais, deverá prosseguir até o final do primeiro e começo do segundo semestre de 2016.

 

A questão agora fica por conta do custo da recria.

 

Tanto o criador, que eventualmente irá recriar esses animais, quanto o terminador, que irá engorda-los até o abate, precisa conhecer quais os desembolsos necessários para mantê-los na fazenda.

 

Simulamos aqui uma recria com oferta de suplemento mineral durante o período chuvoso, suplemento mineral proteinado na seca, vermifugações em maio, julho e setembro além das vacinações de aftosa.

 

O arrendamento de pastagem, em R$25,00 cabeça/mês, foi considerado para eliminar as particularidades de custos fixos de uma fazenda, como quantidade de benfeitorias, maquinário, custo de implementação de pasto, enfim, itens que comporiam a depreciação no resultado da atividade.

 

Na tabela 1, estão os custos mensais, até o final de 2016, para recria de um bezerro desmamado em março. Note que os custos variam conforme a utilização de insumo. Em média, o desembolso mensal deve ficar em R$42,78 por bovino.

 

A suplementação, no exemplo, depois do arrendamento, é o item que tem a maior participação no custo total, sofre influência direta do câmbio, já que parcela da matéria prima é importada. Até o primeiro bimestre, o repasse de alta do dólar aos produtos, não tinha sido integral. Isso poderá onerar a atividade nos próximos meses.

 

Veja a figura 1.

img2

Conhecendo os custos, fica mais fácil. A partir daí são diversas as simulações de compra e venda possíveis.

 

Por exemplo. Para um recriador/terminador, que adquiriu um bezerro de desmama em março de 2016, por R$1,35 mil, ao final de 2016 terá investido nesse animal, R$1,78 mil, agregando todos os gastos com insumos no período.

 

Se este animal tiver sido desmamado com sete arrobas e se o ganho de peso for de 400 gramas/dia, média entre águas e secas, desempenho possível com a aplicação da tecnologia considerada na simulação, em dezembro, teremos um garrote, de 10,5 arrobas.

 

As referências da Scot Consultoria para bovinos mais erados são o garrote de 9,5 arrobas e depois o boi magro de 12 arrobas, cotados em R$190,00/@ e R$170,00/@, respectivamente. O intervalo médio de preços é R$180,00/@.

 

Para efeito de cálculos, vamos considerar esse patamar para precificar esse animal, mas com um acréscimo de 4,5% até dezembro, tamanho da valorização do boi magro em 2015. A partir daí teremos seu valor de mercado, R$1,97 mil. Ou seja, recriar está 11,1% mais barato do que comprar esse animal no mercado (tabela 2).

 

Já para o recriador exclusivo, a diferença entre custo total e o valor de mercado é a margem da operação de venda desse animal, que ficou em R$196,95/cabeça. Em relação ao custo total, nos dez meses que esse animal ficou na fazenda, o retorno ao mês é de 1,11%, superior aos investimentos de renda fixa mais acessados atualmente, como Letras de Crédito Imobiliário (LCI) e Letras de Crédito do Agronegócio (LCA), por exemplo.
img3

 

Por fim, essas são algumas das muitas simulações possíveis para o melhor negócio em 2016. Mas, a exemplo do que fizemos aqui, a base para todas elas é saber o custo de produção do sistema.

 

Por: Alex Santos Lopes da Silva – Zootecnista Scot Consultoria

Fonte: Scot Consultoria