Zootecnista da Seagro alerta criadores de aves sobre cuidados com altas temperaturas neste período

15/09/2013 12:00

 

A Secretaria da Agricultura e Pecuária (Seagro) alerta os avicultores para os cuidados que devem ser redobrados neste período.

O Tocantins vive mais um período seco, ou seja, sem chuvas. A época segue até outubro e assim, homens e animais terão que conviver com o calor e a baixa umidade do ar. Fator de grande importância na produção avícola, a temperatura atua diretamente na produtividade. Por isso, a Secretaria da Agricultura e Pecuária (Seagro) alerta os avicultores para os cuidados que devem ser redobrados neste período.

O zootecnista da Seagro, Alan Oliveira, explica que o monitoramento das aves neste período deve ser ainda mais criterioso, já que uma falha no sistema de refrigeração pode prejudicar todo o plantel e causar alta mortalidade das aves. “Os equipamentos de climatização (umidificadores de ar, climatizadores, atomizadores e ventiladores industriais) são imprescindíveis para a sobrevivência dos animais em confinamento, pois promovem a renovação de ar no ambiente”, alerta. 

Ainda de acordo com o zootecnista, o controle da temperatura é necessário para evitar a morte do animal por estresse térmico. Oliveira destaca que os fatores térmicos, representados, principalmente, pela temperatura e pela umidade relativa do ar, são os que afetam mais diretamente as aves, pois comprometem a manutenção da temperatura do corpo. “Quanto menor a circulação de ar, mais dificuldade a ave tem de remover calor interno pelas vias aéreas, o que leva ao aumento da frequência respiratória, prejudicando por exemplo, a alimentação dos animais”, complementa. 

Outro fator importante, segundo Oliveira, é observar o comportamento das aves no ambiente, sempre atento para possíveis alterações, evitando assim a perda de peso. “O acompanhamento é feito pelo próprio produtor, e caso houver mudanças deve buscar orientações com o zootecnista ou médico veterinário de sua confiança”, ressalta Oliveira, acrescentando que o período exige ainda um controle rigoroso da água, que deve ser sempre fresca e estar à disposição das aves durante todo o período.

Dados

Segundo dados da Agência de Defesa Agropecuária (Adapec), a população total de aves, comerciais e de subsistência (agricultura familiar) é de 7.223.820, representando a segunda atividade mais expressiva da produção pecuária tocantinense. A ave criada no sistema de subsistência demora em média 120 dias para chegar ao ponto de venda e é uma alternativa a mais para pequenos produtores e agricultores familiares complementarem a renda.

Foto: Lenna Borges – Ascom/SeagroFonte: Lenna Borges – Ascom/Seagro