Setor de agronegócios se aquece e prevê criação de novas vagas e melhor remuneração

13/02/2013 19:15

 

Nos próximos anos, profissionais mais demandados serão aqueles relacionados à criação de animais

O agronegócio é, atualmente, um dos setores econômicos com melhor desempenho no Brasil e continuará crescendo nos próximos anos. De acordo com dados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), a renda agrícola deve crescer 23,8% este ano. Esse dinamismo acaba se refletindo no mercado de trabalho, e a expectativa é de criação de novas vagas e de melhoria na remuneração daqueles que trabalham no setor. Mas, alerta o presidente da Sociedade Nacional de Agricultura Antonio Alvarenga, para suprir essa demanda, as empresas vão buscar profissionais cada vez mais qualificados e terão que mudar a forma de gerir seus negócios:

— As empresas do agronegócio, de uma forma geral, precisarão também, nos próximos anos, enfatizar a profissionalização de sua gestão. Dessa forma, o agronegócio absorverá cada vez mais profissionais especializados nos campos da administração, economia, finanças e informática.

Segundo Alvarenga, nos próximos anos, os profissionais mais demandados serão aqueles relacionados à criação de animais - principalmente veterinários e zootecnistas, segmento este que, na opinião do presidente da Sociedade Nacional de Agricultura, precisa ganhar mais produtividade, liberando parte das áreas de pastagens para a produção de grãos:

— Nossa pecuária precisa ser menos extensiva e mais intensiva. Isso demandará mais técnicos qualificados em genética, alimentação animal, sistemas de confinamento e rotação de pastagens.

Alvarenga ressalta que, para quem quer trabalhar na área, os principais requisitos são: conhecimento específico, empenho, dedicação, iniciativa e atualização permanente. Ou seja: características comportamentais que se resumem em comprometimento.

— O bom profissional precisa estar comprometido com o sucesso da empresa onde trabalha. Considerando as particularidades do setor, a vivência no agronegócio é fundamental.

Por isso, diz Alvarenga, é desejável que o profissional tenha graduação em uma instituição que tenha boa conexão com o agronegócio ou, pelo menos, que tenha cursos de especialização ou pós-graduação nessas instituições.


Fonte: O Globo on line