Raide Cabanha Paulista

19/03/2013 17:13

O zootecnista Raul Sampaio de Almeida Prado, da Fazenda Capoava, realizou nos meses de outubro e novembro uma cavalgada de mais de 1800 km para testar o cavalo crioulo.

O chamado Raide Cabanha Paulista saiu da cidade de Uruguaiana, no Rio Grande do Sul, até chegar a Itu. Durante todo o trajeto, Raul e uma equipe de 15 pessoas fizeram avaliações nos dois cavalos, e os dados serão reunidos em breve em um livro.

Confira:

Quando e como surgiu a ideia de realizar esse projeto?
Raul: A ideia surgiu no final de julho de 2012. Meu irmão Paulo, proprietário da Cabanha Paulista aqui em Itu comprou um garanhão durante a Feira de Palermo na Argentina. Meu pai Roberto Sampaio de Almeida Prado foi criador de cavalos Mangalarga e Crioulo e gostava muito de testar a resistência dos seus cavalos em raides de longa distância. Inspirado por sua lembrança, Paulo me procurou para ajudá-lo a organizar para que o cavalo viesse montado de Buenos Aires até Itu. Infelizmente, por questões de ordem burocrático e sanitária, não nos foi possível manter a ideia original e a cavalgada saiu de Uruguaiana/RS em direção a Itu. Mandamos então para lá outro garanhão de criação da Cabanha Paulista e os dois vieram juntos.
 
Há quanto tempo o senhor realiza pesquisas sobre a raça?
Raul: Como disse antes, meu pai criou cavalos crioulos desde a década de1960. Portanto conheci o cavalo crioulo ainda menino (nasci em 1953). Sou professor de Melhoramento Genético de Equinos na UNISO e, embora minha especialidade seja o Mangalarga, sempre me interessei por outras raças.
 
O cavalo crioulo é muito popular no sul do país, por ser um cavalo de lida. E em São Paulo, como a raça vem sendo recebida?
Raul: Acho que a tendência da raça crioula é de grande expansão, principalmente em decorrência das provas funcionais promovidas pela Associação.
 
Como foi todo o percurso e como eram feitas as avaliações dos animais?
Raul: Foram percorridos 1752Km, com uma média diária de 52,3 km. Um grande feito. As avaliações eram realizadas diariamente , e eram feitas avaliações de batimento cardíaco e frequência respiratória. Semanalmente eram feitas avaliações de peso e exames de sangue. Além disso, foram anotadas diariamente temperaturas máxima e mínima e umidade relativa do ar. A análise mais aprofundada das variações e de possíveis correlações de comportamento dos animais com as condições ambientais e médias de percursos percorridos no dia acredito que fornecerão dados interessantes que poderão nos ajudar a compreender melhor a fisiologia e performance dos cavalos.
 
Essa pesquisa sobre a raça é inédita no Brasil? 
Raul: Outras cavalgadas de longa distância já foram realizadas no nosso país, algumas até bem maiores. Acredito que o diferencial do Raide Cabanha Paulista tenha sido essa preocupação com uma coleta efetiva de dados que permitissem posteriores pesquisas científicas.
 
Como os animais estiveram durante todo o longo percurso? Quais são suas características mais marcantes?
Raul: Sem dúvida nenhuma com bravura, coragem e resistência exemplares. O ginete Lucas Paiva Garcia foi um dos que realizou a cavalgada, e relata que
 
Os cavalos deram diversas provas de valentia e sagacidade durante o trecho, provando que a resistência e rusticidade intrínsecas de cada um são maiores do que os eventuais desafios encontrados.
 
Viagens como esta, de elevada quilometragem em curto período de tempo com apenas um cavalo à disposição de cada cavaleiro são raridades e não faltaram comentários exaltando o heroísmo dos animais ao longo do caminho. Não faltou também quem dissesse que o feito era loucura, que faltava juízo aos idealizadores e quem duvidasse do sucesso da empreitada. Acreditávamos acima de tudo na capacidade dos cavalos e na competência de cada integrante da equipe, mas não há como negar que, no fundo, o receio da possibilidade de alguma coisa dar errado chegou a pairar sobre o pensamento de todos nós por pelo menos um momento ao longo de todos esses dias. Mas parece que para Huinca e Sorrito essa possibilidade da não conclusão do trajeto nunca foi cogitada. A cada etapa concluída, cada quilômetro percorrido, cada dificuldade superada, os cavalos mostravam desempenho cada vez melhor e surpreendiam até a nós próprios, integrante do Raide Cabanha Paulista 2012. 
 
Como o senhor avalia, até o momento, os resultados da pesquisa?
Raul: Como impressão geral e sob minha ótica acho que os dados demonstram as qualidades que fizeram do Crioulo esse símbolo que é: resistência, rusticidade e brio.
 
Quando serão publicados os resultados completos da pesquisa?
Raul: Acredito que até o final desse semestre; ainda tem bastante trabalho a ser feito.