Profissionais discutem exercício da profissão de zootecnista na AL

24/04/2013 19:39

 

o

O presidente da Associação Brasileira de Zootecnistas, Walter Motta Ferreira, durante audiência pública nesta segunda-feira (15/04), para debater o projeto de lei nº 2.428-A/08, de autoria do deputado federal Zequinha Marinho (PMDB-PA), explicou que “há um mal-entendido em relação à matéria”. Segundo ele, o projeto não veta o exercício da profissão de zootecnista aos profissionais engenheiros agrônomos e médicos veterinários. “O que está em pauta é a promulgação do título de zootecnistas”.

 

“Em nenhum momento nós nos colocamos em posição de privar os engenheiros agrônomos e médicos veterinários de exercerem a profissão”, disse. Ele destacou a lei nº 5.550, de dezembro de 1968, que trata das atribuições da profissão de zootecnista e que estende o campo de atuação para os engenheiros agrônomos e médicos veterinários, e disse “não temer que haja concorrência entre esses profissionais”. “A única coisa que queremos é que seja reconhecido como zootecnista “apenas o profissional diplomado e com a formação complexa que tivemos”, reclamou.

A audiência foi promovida pelas comissões de Agropecuária; Ciência Tecnologia e Educação Superior e Desenvolvimento Regional, Recursos Hídricos, Minas e Pesca da AL e atendeu a solicitação dos deputados Hermínio Resende (PSL), Neto Nunes (PMDB) e Rachel Marques (PT), 
A deputada Rachel Marques (PT) alertou para o fato de que todos os profissionais têm competência para exercer a profissão. Para ela, é importante lembrar que, considerando apenas os zootecnistas, o Ceará, por exemplo, não teria uma quantidade ideal de profissionais que atendesse a demanda do Estado.

Ela informou que aqui no Ceará, “pelo menos 80% dos professores das escolas de Zootecnia são médicos veterinários ou engenheiros agrônomos”. Hermínio Resende questionou o fato de esses profissionais terem competência para ministrar para os profissionais da zootecnia, mas não poderem atuar no mercado de trabalho.

Hermínio informou que, a partir das explicações e do consenso entre as partes envolvidas, será encaminhado ao deputado Zequinha Marinho um documento cientificando a posição dos profissionais. “Os engenheiros e os médicos não estão reivindicando título de zootecnista. Todos esses profissionais querem trabalhar unidos para o engrandecimento do nosso Estado”, disse.

Também participaram da audiência os deputados federais Chico Lopes (PCdoB-CE), Gorete Pereira (PR-CE) e Ilário Marques (PT-CE), e representantes do Conselho Federal de Engenheiros Agrônomos, da Confederação dos Engenheiros Agrônomos no Brasil, do Centro de Ciências Agrárias da UFC e do Conselho Nacional de Medicina Veterinária.
PE/CG

Informações adicionais

  • Fonte:Agência de Notícias da Assembleia Legislativa
  • E-mail:agencia@al.ce.gov.br
  • Twitter:@Assembleia_CE