Para USDA, exportações brasileiras de frango crescem 2,75% ao ano até 2022

17/02/2013 11:40

 

Ao divulgar, no início da semana, suas Projeções Agrícolas para o período 2013/2022, o Departamento de Agricultura dos EUA previu que, na corrente década e até o início da próxima, os cinco maiores exportadores mundiais de carne de frango manterão as mesmas posições atualmente ocupadas.

Isso significa dizer que o Brasil continuará sendo o maior exportador mundial do produto, vindo a seguir EUA, União Europeia, Tailândia e China. O que muda – e de forma significativa – é o índice de expansão desses cinco exportadores até 2022.

O crescimento mais expressivo - superior a 65% em relação a 2012 – deve ocorrer na Tailândia. O Brasil vem a seguir, com um índice de expansão estimado em 31% - o que corresponde a um incremento de cerca de 2,75% ao ano entre 2012 e 2022.

Para a China é prevista expansão de 28,2%, enquanto os menores índices cabem à União Europeia e EUA – 9,6% e 7,8%, respectivamente.

A despeito de vir a registrar índice de expansão mais moderado que o da Tailândia, a participação brasileira no total exportado pelo grupo dos cinco tende a aumentar pouco mais de 8%, passando de 38,6% em 2012 para 41,7% em 2022.

Notar que os números projetados pelo USDA foram fechados em novembro de 2012 e não incluem as exportações de patas de frango. Daí, por exemplo, o fato de as exportações brasileiras serem menores que as efetivamente registradas pela SECEX/MDIC.

Ainda assim, os índices de incremento apontados – por exemplo, 2,75% ao ano no caso brasileiro – são boa referência para o setor. Ou seja: expansão como a verificada entre 2002 e 2012, da ordem de 9,35% ao ano, parece ser algo que ficou definitivamente para trás.

 

(Avisite) (Redação)