Novo plano agrícola prevê R$ 115 bilhões em recursos

28/07/2012 14:48

 

O governo federal lançou nesta quinta-feira (28) o Plano Agrícola e Pecuário voltado à agricultura empresarial para a safra 2012/2013. O plano prevê R$ 115,2 bilhões de recursos, sendo R$ 86,9 bilhões para financiar o custeio e a comercialização e R$ 28,2 bilhões para os programas de investimentos.

O governo também anunciou a redução da taxa anual de juros para o agricultor de 6,75% para 5,5%.

De acordo com o Ministério da Agricultura, este é o maior plano agrícola já anunciado nos últimos anos. O volume de recursos representa um aumento de 7,5% em relação ao crédito da safra anterior. O Plano Safra está sendo lançado pela presidente Dilma Rousseff e pelo ministro da Agricultura, Mendes Ribeiro, no Palácio do Planalto.

"As perspectivas para o setor rural são promissoras apesar da crise. [...] Nosso sistema de defesa animal e vegetal vem recebendo reconhecimento internacional", afirmou o ministro Mendes Ribeiro.

JUROS

A redução dos juros representa uma diminuição de 18,5% nos custos dos financiamentos para o produtor rural, conforme o Ministério da Agricultura.

Os recursos com taxa de juros controlada representam R$ 93,9 bilhões. Já os juros livres somam R$ 21,3 bilhões.

No Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp), a taxa de juros foi reduzida de 6,25% para 5%.

MEIO AMBIENTE

O Ministério da Agricultura também anunciou R$ 3,4 bilhões de recursos para o programa ABC, que financia a recuperação de áreas degradadas e a integração lavoura-pecuária-floresta, entre outras atividades que ajudam a fixar gases-estufa no solo e a cortar emissões. Os juros são de 5,5%.

O governo aumentou os limites de financiamento de custeio e comercialização. No caso do custeio, o aumento do limite de R$ 650 mil passou para R$ 800 mil por produtor; enquanto para a comercialização a elevação foi de R$ 1,3 milhão para R$ 1,6 milhão.

Para as cooperativas agropecuárias, a elevação do limite de financiamento foi de R$ 60 milhões para R$ 100 milhões por cooperativa, através do Prodecoop; e de R$ 25 milhões para 50 milhões pelo Procap-Agro.

O seguro agrícola também foi ampliado. Para o agricultor, passou de R$ 150 mil para R$ 300 mil. O valor total segurado passará de R$ 9 bilhões para R$ 16 bilhões.

Fonte: Folha web