MAPA assina termo para incluir a avicultura no Programa Agricultura de Baixo Carbono (ABC)

07/08/2012 20:40

 

 Shutterstock
Além de apoiar os produtores, a medida incrementa a imagem do setor no mercado internacional, destacando o perfil sustentável da cadeia produtiva brasileira de aves

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e a União Brasileira de Avicultura (Ubabef) assinaram um termo de compromisso para a inclusão do setor às linhas de financiamento do Programa Agricultura de Baixo Carbono (ABC). O acordo foi estabelecido ontem durante a abertura do XXII World Poultry Congress (WPC), em Salvador, na segunda-feira (6/8). 

 

A decisão é fruto de estudo realizado pela Embrapa Suínos e Aves, que dimensionou o impacto da redução de gases de efeito estufa com a modernização dos aviários. A pesquisa mostrou que é possível a redução de 4 milhões de toneladas de CO2 por parte dos avicultores, índice que representa 3% de redução da agropecuária estabelecida no Programa Agricultura de Baixo Carbono. Segundo a Embrapa, a mudança permite melhorar a conversão alimentar das aves, a produtividade da mão de obra, o desempenho e a sustentabilidade da produção de frangos



De acordo com o presidente da Ubabef, Francisco Turra, a criação de aves é feita em áreas que preservam florestas, com baixo consumo de água e energia, e com investimentos na área ambiental e reciclagem de seus subprodutos. "Agora será necessário se criar a sistemática operacional para que os produtores tenham acesso às linhas de crédito. Além de apoiar os produtores, a medida incrementa a imagem do setor no mercado internacional, explicitando o perfil sustentável de nossa cadeia produtiva”, afirmou Turra. 

Com o objetivo de reduzir a emissão de gases do efeito estufa, o governo federal criou o Programa Agricultura de Baixo Carbono em 2010 para oferecer incentivos e recursos aos produtores rurais que adotarem técnicas agrícolas sustentáveis.

 

 

por Globo Rural On-line