ILPF em ovinos: animais são mais seletivos

10/08/2012 19:40

Integração Lavoura-Pecuária-Floresta com caprinos e ovinos exige mesmos cuidados de sistema adotado para bovinos e promete atender à seletividade dos animais 



KAMILA PITOMBEIRA/PORTAL DIA DE CAMPO

Para facilitar a vida do produtor rural e melhorar cada vez mais a qualidade da produção, seja animal ou vegetal, diferentes sistemas de produção são estudados para gerar informações cada vez mais relevantes para o homem do campo. Um desses sistemas é a Integração Lavoura-Pecuária (ILP), que promete facilitar a vida do produtor de ovinos a partir do momento que não exige diversas renovações de pastagem. Segundo Tânia Luisa Maldaner, pós-graduanda da Universidade de Brasília (UNB), os cuidados de manejo no ILP, seja para bovinos, caprinos ou ovinos, são praticamente os mesmos. A única diferença é que caprinos e ovinos exigem alguns cuidados a mais, pois eles são animais mais seletivos que os bovinos.

Com relação à Integração Lavoura-Pecuária-Floresta, devemos tomar cuidado com as árvores que implantamos porque, dependendo da espécie, os animais podem vir a comer o caule das árvores e morrer. Já em relação ao pasto, o Tifton 85 seria uma pastagem boa para fazer a integração — afirma a pós-graduanda. 

Com relação às árvores mais indicadas, Tânia explica que as frutíferas, como a manga e a laranja, seriam um empecilho. Isso porque, às vezes, os animais podem vir a comê-las, já que a casca é palatável. Já o eucalipto não apresenta problemas até certa altura porque eles não conseguem comer as folhas. 

A Integração Lavoura-Pecuária traz várias vantagens. Uma delas é a renovação da pastagem. Se tivéssemos uma pastagem normal, teríamos que ficar renovando a pastagem de tempos em tempos. Quando fazemos a ILP, renovamos e adubamos o solo dessa pastagem, não sendo mais necessária a renovação — diz. 

Tânia afirma ainda que o sistema exige os mesmos cuidados, tanto para ovinos, quanto para bovinos, principalmente quando a questão é cuidar bem da pastagem. Como exemplo, ela fala que, ao fazer a lavoura no período da chuva, deve-se deixar os animais em um espaço menor. 

A lavoura deve ser feita em outro espaço e, nesse espaço, colher o milho ou o que for. Depois, na época da seca, os produtores vão utilizar esse espaço para colocar os animais. Portanto, os cuidados são os mesmos de uma pastagem normal. Diferenciam-se apenas na época da integração, ou seja, os animais devem ficar em outro espaço quando as plantas estiverem em um período no qual eles possam comer suas folhas — orienta. 

Para mais informações, basta entrar em contato com a UNB através do número (61) 3107-330

Fonte Portal do Agronegócio