IBGE: Abates de bovinos e suínos e produção de ovos crescem em 2012, mas cai o abate de frangos

27/03/2013 23:05

 

Em 2012, foram abatidas 31,118 milhões de cabeças de bovinos, com aumento de 8,0% em relação a 2011 e nova marca recorde na série histórica do abate de bovinos por ano. O recorde anterior – desde 1997 quando a Pesquisa Trimestral de Abate de Animais foi iniciada – havia sido alcançado em 2007, quando foram abatidas 30,713 milhões de cabeças de bovinos. A redução nos preços nacional e internacional e o aumento das exportações de carne bovina contribuíram para o aumento da oferta desse produto.

No acumulado de 2012, foram abatidas 35,980 milhões de cabeças de suínos, um crescimento de 3,2% em relação a 2011. A série anual mostra que houve crescimento ininterrupto dessa atividade desde 2005. O peso acumulado das carcaças no abate de suínos, em 2012, alcançou 3,465 milhões de toneladas, representando aumento de 2,8% em relação ao ano anterior

Já o abate de frangos, somando 5,238 bilhões de animais, representou redução de 0,9% sobre o volume registrado em 2011. O peso acumulado das carcaças no abate de frangos, em 2012, alcançou 11,533 milhões de toneladas, representando aumento de 0,9% em relação ao ano anterior.

A aquisição de leite no ano foi de 22,338 bilhões de litros, gerando um aumento de 2,5% sobre a quantidade obtida em 2011. Já a industrialização do produto teve aumento de 2,6% no comparativo entre os anos de 2011 e 2012.

No ano de 2012, foram adquiridas 35,194 milhões de peças inteiras de couro bovino, num crescimento de 3,6% sobre 2011 e com aumentos consideráveis em Santa Catarina (33,9%), Rondônia (21,5%), Paraná (20,2%) e Mato Grosso (16,2%).

A produção de ovos de galinha em 2012 (2.689.451 mil dúzias) também aumentou em relação a 2011 (4,8%), enquanto o efetivo de galinhas, de 499.855 mil cabeças, no último dia do ano, cresceu 3,9%.

Essas e outras informações estão disponíveis nos resultados do 4º trimestre e acumulado no ano de 2012 das Pesquisas Trimestrais do Abate de Animais e Produção de Leite, Couro e Ovos. A publicação completa da pesquisa pode ser acessada na páginahttp://www.ibge.gov.br/home/estatistica/indicadores/agropecuaria/producaoagropecuaria/default.shtm

Em 2012, Região NE foi a única a ter redução no abate bovino: -0,3%

No acumulado de 2012, a Região Nordeste foi a única Grande Região brasileira que apresentou decréscimo (-0,3%) na quantidade de bovinos abatidos, puxado principalmente por Pernambuco e Ceará, que abateram, respectivamente, 98.033 (-24,5%) e 36.173 (-11,5%) a menos que em 2011. Impulsionada pelo incremento da quantidade abatida em Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiás, em 2012, totalizando 1.478.281 cabeças de bovinos a mais que em 2011, a Região Centro-Oeste apresentou aumento na participação nacional (de 36,5% para 38,5%), enquanto as demais apresentaram queda, mesmo as que tiveram aumento da quantidade de bovinos abatidos: Região Norte (+220.072), Sudeste (+413.799) e Sul (+191.621).

Parte do aumento do abate de bovinos na Região Centro-Oeste pode ser explicada pelos aumentos das quantidades de carne bovina in natura exportadas pelos três estados da Região.

O peso acumulado de carcaças em 2012 acompanhou o abate de bovinos, alcançando nova marca recorde de 7,351 milhões de toneladas e aumento de 8,4% frente ao acumulado de 2011. O recorde anterior também havia sido alcançado em 2007, com 7,049 milhões de toneladas de carcaças de bovinos.

Abate de frangos cai pela segunda vez em dez anos

O abate de frangos teve redução de 0,9% no comparativo 2012/2011. O resultado negativo significou, pela segunda vez nos últimos 10 anos, redução no nível do abate de frangos na comparação com o ano anterior. Se, em 2009, o setor da avicultura foi impactado pela crise financeira internacional, em 2012, a cadeia produtiva do abate de frangos em nível de agregado nacional deparou-se com o aumento de preços dos insumos de produção (soja e milho) que gerou dificuldades a muitas empresas.

A Região Sul respondeu por 58,6% do abate nacional de frangos, enquanto que a Região Sudeste registrou 22,1%. O Paraná lidera oranking nacional em nível de participação da produção nacional, com crescimento no número de cabeças abatidas em 2012, em relação ao ano anterior. Santa Catarina, Rio Grande do Sul e São Paulo registraram quedas no nível de atividade, sobretudo no 2° semestre.

Sul continua a liderar abate de suínos com 65,3% na participação nacional

O abate de suínos aumentou 3,2% em 2012 sobre 2011. Em quase todos os meses do ano, houve variação positiva no abate de suínos, frente aos registros mensais de 2011. As exceções foram os meses de setembro e dezembro, que variaram -4,7% e -7,9%, respectivamente.

A Região Sul continuou sendo a principal região abatedora de suínos em 2012, respondendo por 65,3% do abate nacional. Santa Catarina liderou com 24,8% do abate nacional de suínos, seguida do Rio Grande do Sul (18,0%) e Paraná (16,6%), mas foram os estados do Paraná e de Minas Gerais que se destacaram quanto ao aumento de produção e de participação, comparando com 2011.

Aquisição de leite foi maior no primeiro trimestre do ano

A variação anual da produção de leite foi de 2,5% em 2012 sobre 2011. No comparativo entre os meses de 2012 e 2011, observaram-se aumentos de aquisição de leite entre janeiro e agosto e quedas a partir de setembro, sendo a mais acentuada a do mês de novembro. A maior aquisição de leite ocorreu no 1º trimestre do ano.

Do total de leite adquirido no ano de 2012, 92,5% originaram-se de estabelecimentos que atuam sob inspeção sanitária federal, 6,8% de estabelecimentos que atuam sob inspeção estadual e 0,7% de estabelecimentos com inspeção municipal.

A aquisição manteve-se crescente ao longo da série, desde 1997 até o último dado disponível, e, durante o período, pode-se dizer que dobrou o volume adquirido.

Aquisição de couro bovino aumentou 5,4% em 2012

No acumulado de 2012, a aquisição de couro teve aumento de 3,6% sobre 2011. Do couro adquirido, 65,3% teve origem de matadouros frigoríficos; 6,8% veio de intermediários ou salgadores; 1,5%, de matadouros municipais; 1,1%, de outros curtumes e 0,2%, de outras origens.

Quanto ao recebimento de couro de terceiros para prestação de serviços de curtimento, de 2011 para 2012, houve redução de 3,2%. As quedas mais importantes foram as do Maranhão (-76,1%), Ceará (-54,6%) e São Paulo (-41,8%). Minas Gerais teve aumento significativo (520,9%), assim como Pará (191,3%) e Tocantins (129,4%).

O curtimento de couro aumentou 3,6% no ano de 2012 comparativamente ao ano de 2011.

Abate de bovinos no 4º trimestre chegou a 8,1 milhões de cabeças

No 4° trimestre de 2012. foram abatidas 8,186 milhões de cabeças de bovinos, registrando novo recorde na série histórica do abate de bovinos por trimestre. O recorde anterior foi alcançado no 3º trimestre de 2012, com a marca de 8,053 milhões de cabeças abatidas. O abate de bovinos no Brasil tem sido crescente nos últimos três trimestres. Nos comparativos do 4º trimestre de 2012 com o trimestre imediatamente anterior e com o 4º trimestre de 2011, os incrementos foram da ordem de 1,7% e 11,1%, respectivamente.

O peso acumulado de carcaças (1,950 milhão de tonelada) foi superior 1,7% ao registrado no 3º trimestre de 2011, e superior 11,5% ao registrado no mesmo trimestre do ano anterior.

Abate de frangos registra queda de 3,3 % em relação ao 3º trimestre de 2012

No 4° trimestre houve abate de 1,288 bilhão de cabeças de frangos, representando queda de 3,3% em relação ao trimestre imediatamente anterior e de 2,4% em relação ao 4° trimestre de 2011. O peso acumulado das carcaças (2,766 milhões de toneladas) foi 6,7% inferior ao registrado no 3° trimestre de 2012 e 3,2% inferior ao registrado no 4° trimestre de 2011.

Os três estados do Sul somaram 59,0% do abate nacional, mais que o dobro da participação do Sudeste (21,1%). O Estado do Paraná lidera o ranking nacional de abate de frangos com participação de 28,0%. Santa Catarina e Rio Grande do Sul vêm a seguir, participação na casa dos 15% cada um.

Na comparação com o 3° trimestre de 2012, Santa Catarina abateu 12,8% a menos, e São Paulo registrou variação negativa de 8,4%, contribuindo significativamente para a queda da produção no agregado nacional.

Abate de suínos aumentou 0,8% sobre o 4º trimestre de 2011

No 4° trimestre de 2012, foram abatidas 9,083 milhões de cabeças de suínos, representando queda de 2,2% em relação ao trimestre imediatamente anterior e aumento de 0,8% em relação ao 4° trimestre de 2011. O peso acumulado das carcaças produzidas (863,825 mil toneladas) foi inferior ao do trimestre anterior em 3,6%, e em 1,1%, na comparação com o mesmo período de 2011.

A Região Sul respondeu por 64,4% do abate nacional de suínos no 4º trimestre de 2012, seguida pelas Regiões Sudeste (19,2%), Centro-Oeste (15,1%), Nordeste (1,3%) e Norte (0,1%). No comparativo entre os últimos trimestres 2012-2011, o destaque foi a Região Sudeste, única a apresentar algum aumento (1,1%), graças ao crescimento de 9,1% no abate de Minas Gerais. Paraná e Rio Grande do Sul também aumentaram o abate de suínos, mas Santa Catarina, que lidera o ranking nacional, registrou queda de 7,2% no número de cabeças abatidas, determinando variação negativa de 0,6% no abate para a Região Sul.

Aquisição de leite no trimestre cresceu 4,8% sobre o anterior

A aquisição de leite no 4º trimestre de 2012 aumentou 4,8% relativamente ao 3º trimestre do mesmo ano. Porém, em relação ao 4º trimestre de 2012, caiu 1,8%.

No período, a participação regional na aquisição de leite foi de 38,9% para o Sudeste; 36,6% para o Sul; 13,7% para o Centro-Oeste; 5,8% para o Norte e 5,0% para o Nordeste. Minas Gerais é o estado que mais adquire leite (25,6%), seguido por Rio Grande do Sul (15,4%) e Paraná (11,7%) Os seis primeiros estados detêm 82,7% da aquisição de leite.

Aquisição de couro também aumentou no 4º trimestre em 4,4%

A aquisição de couro inteiro de bovinos foi de 8,767 milhões de unidades no último trimestre de 2012, aumentando 4,4% em relação ao mesmo período de 2011. No entanto, comparando com o 3º trimestre de 2012, houve queda de 2,8%.

A origem do couro no trimestre final de 2012 pode ser assim distribuída: 66,3% de matadouros frigoríficos, 24,7% de terceiros para a realização de serviços de curtimento de couro e 6,1% de intermediários ou salgadores.

Dentre o couro oriundo dos matadouros frigoríficos, 39,9% estavam localizados no Centro-Oeste do país; 21,1% no Norte; 19,8% no Sudeste e 16,0% no Sul.

Em termos de aquisição total de couro, Mato Grosso merece destaque, seguido por São Paulo e Mato Grosso do Sul.

Produção de ovos no trimestre decresceu 2,9% em relação ao anterior

A produção de ovos de galinha foi de 662,116 milhões no 4º trimestre de 2012, ficou estável em relação ao 4º trimestre de 2011, mas decresceu 2,9% em relação ao 3º trimestre de 2012. No comparativo entre os trimestres finais de 2012 e 2011, verificaram-se significativas quedas em São Paulo (-5,4%), Minas Gerais (-5,1%) e no Rio de Janeiro (-16,9%), o que refletiu na Região Sudeste (-1,7%). No Sul, houve queda de 0,4%, com resultados negativos no Paraná e em Santa Catarina. No Nordeste, as maiores quedas aconteceram no Ceará e em Sergipe, embora o total da região não tenha decaído. As Regiões Norte e Centro-Oeste registraram aumento da produção de ovos de galinha.

 

Veja a pesquisa

 

Comunicação Social
27 de março de 2013