Habilidade materna valoriza gado e é reconhecida pelo mercado

06/07/2014 16:47

Capacidade de entregar bezerros mais pesados é um dos objetivos do melhoramento genético

Lineu Kern, divulgação

Foto: Lineu Kern, divulgação
A habilidade materna não é apenas o bom aleitamento, mas cuidados como defesa da cria e a orientação para outros tipos de alimentação

A habilidade materna, responsável pelo melhor desenvolvimento dos touros, está sendo cada vez mais valorizada por especialistas. A capacidade das fêmeas de entregar à desmama bezerros com qualidade e pesados é decisiva para o faturamento do rebanho. O assunto foi tema do quadro Dr. Pecuária, do Jornal da Pecuária, desta quarta, dia 2.

A habilidade materna não é apenas o bom aleitamento, mas cuidados como defesa da cria e a orientação para outros tipos de alimentação. O resultado, segundo o zootecnista Adriano Rubio, entrevistado desta semana, é um boi mais saudável e com rápido ganho de peso

– O touro cresce mais precocemente, valorizando a genética – afirma o especialista.

A seleção das melhores matrizes ocorre dentro da avaliação genética, que determina o bom desempenho dos touros segundo vários indicadores, entre eles a habilidade maternal. Neste caso, o resultado só é encontrado na avaliação do desempenho dos netos do touro avaliado, explica Rubio.

– Tem que esperar as filhas desse touro parirem e desmamarem um bom bezerro. Quando o neto do bezerro está desmamado, você consegue medir com muita precisão a capacidade genética de transmitir habilidade materna de um touro – esclarece.

A avaliação genética se baseia em modelos matemáticos, que distribuem os filhos dos touros, para coleta de dados. Estes dados são coletados em várias fazendas e é feita uma fórmula que elimina a influência ambiental. O resultado é transformado em resultado de DEP, que é a Diferença Esperada Prevista ao utilizar aquele touro. Rubio explica que o pecuarista tem uma diferença esperada prevista que vai se manifestar na filha do touro, em relação à habilidade materna.

Esse cálculo pode ser aplicado em todas as raças mamíferas, pois é o fundamento do melhoramento genético.

– Existem dentro dos grupamentos genéticos, raças que são especializadas na produção de leite e outras de corte. Dentro da produção de corte, que é a mais importante para seleção de habilidade materna, temos diferenças de raças e dentro da mesma raça, existem diferenças enormes, por isso o acompanhamento é fundamental – justifica Rubio.

Assista a entrevista:

 

CANAL RURAL