Genética influencia comportamento de roedor ao cavar túneis, diz estudo

06/02/2013 20:33

 

 

Pesquisa aborda papel dos genes em comportamentos complexos.

Roedores da espécie 'Peromyscus polionotus' aparecem na entrada de túneis escavados na areia (Foto: Divulgação/J.B. Miller/Universidade Harvard/'Nature')Roedores da espécie 'Peromyscus polionotus' aparecem na entrada de túneis escavados na areia; genes de animais influenciam escavação, diz pesquisa (Foto: Divulgação/J.B. Miller/Universidade Harvard/'Nature')

Pesquisadores da Universidade Harvard e da Universidade do Texas em Austin, ambas nos Estados Unidos, anunciaram ter identificado padrões genéticos em uma espécie de roedores, a Peromyscus polionotus, que influenciam o comportamento desses animais na hora de escavar túneis na terra.

 

O estudo, publicado pela prestigiada revista "Nature", aborda o papel da genética em definir e influenciar comportamentos complexos em animais.

Pelo menos três regiões independentes nos genes da espécie estudada influenciam o comprimento dos túneis escavados. Já a escavação de um "túnel de fuga" adicional, comum para estes animais, está associada com apenas um lugar genético.

Para chegar ao resultado, a pesquisadora Hopi Hoekstra, de Harvard, uma dos autoras do estudo, cruzou a espécie Peromyscus polionotus com outro roedor que faz túneis bem menores.

A pesquisa indica que as duas características da espécie ao escavar (o tamanho dos túneis e a construção de um "túnel de fuga") evoluíram de forma independente. A forma como osPeromyscus polionotus cavam buracos é, também, dominante com relação à outra espécie com a qual ocorreu o cruzamento.

Os roedores da espécie Peromyscus polionotus costumam montar túneis complexos, com longos caminhos de entrada e saída, para se proteger de predadores como cobras, diz a cientista no estudo.