FAO revela aposta na aquicultura para os países em desenvolvimento

05/03/2013 21:16

 

Iniciativa é apoiada com o financiamento de € 1 milhão disponibilizado pela União Europeia; agência refere que o peixe é a principal fonte de proteínas para 17% da população mundial

Rádio ONU em Nova York

O impulso à aquacultura nos países em desenvolvimento foi apontado como aposta de uma parceria envolvendo a Organização da ONU para Agricultura e Alimentação, FAO, e dezenas de entidades públicas e privadas.

De acordo com a agência, 20 instituições de desenvolvimento, governos e universidades devem colaborar com comunidades que praticam a atividade em África, na Ásia e na América Latina.

 

 

Pesquisas

Um financiamento de €1 milhão foi disponibilizado pela União Europeia para que sejam levadas a cabo pesquisas de campo durante três anos.

A FAO aponta a necessidade de adoção de políticas sustentáveis para melhorar a vida de milhões de pessoas carenciadas, com vista a permitir um maior aproveitamento da atividade para a segurança alimentar e nutricional.

 

 

Proteínas

De acordo com a agência, o peixe é a principal fonte de proteínas para 17% da população mundial. O défice alimentar afeta cerca de um quarto dos países de baixa renda.

A FAO refere ainda que quase metade do peixe consumido atualmente é proveniente da aquacultura, mas pouco se sabe sobre o seu verdadeiro impacto na segurança alimentar, nutricional e a redução da pobreza.

Entretanto, diante das projeções de crescimento populacional prevê-se um aumento da procura de produtos pesqueiros e a estabilização da captura. O facto leva à necessidade de expansão da aquacultura, com vista a atender à demanda de peixe no futuro.