Entrevista com a Zootecnista Dra Kênia Rodrigues

07/10/2015 12:37

Kenia

Possui mestrado em Zootecnia pela Universidade Federal de Lavras (1994) e doutorado em Zootecnia pela Universidade Federal de Lavras (2006). Atualmente é professora adjunto IV da Universidade Federal do Tocantins. Tem experiência na área de Zootecnia, com ênfase em Produção Animal, atuando principalmente nos seguintes temas: Agricultura familiar, aves, desempenho, alimentação alternativa.

 

Por: Karolina B. Moura.

 

Zootecnia em foco: Como se deu a escolha da Zootecnia como Profissão ?
Dra. Kênia Rodrigues: A escolha foi devido a área exigida no vestibular de biologia e química, pois eu não tinha vivência em fazenda, nasci em uma região mineradora e estava fazendo vestibular para medicina, após passar em Lavras para Zootecnia, no primeiro mês de curso vi que seria ali meu lugar e passei a me dedicar as ações dos C.A de Zootecnia e DCE na então ESAL, hoje UFRA. Tenho orgulho de ter me formado em uma das melhores Instituições da área de Ciências Agrárias do País.

Zootecnia em foco: Você se sente feliz e plenamente realizada com essa escolha?
Dra. Kênia Rodrigues: Sim, me sinto realizada na minha vida profissional e muito feliz com a escolha, apesar de inicialmente não ter um conhecimento profundo sobre a Zootecnia, na Universidade pude perceber sua abrangência e as possibilidades de atuação futura que eu tinha.

Zootecnia em foco: Como você vê a atuação do Zootecnista na sociedade? Qual a importância desse profissional?
Dra. Kênia Rodrigues: Nossa participação é importantíssima, somos cidadãos com uma formação muito abrangente, prestando serviços para uma produção animal sustentável, atendemos desde o pequeno produtor até o grande, e toda a cadeia do agronegócio é nossa área de atuação. Hoje o Zootecnista com seu trabalho de qualidade aprimora a produção animal levando alimento de qualidade e em quantidade para a população, respeitando a natureza, inovando para que tenhamos sustentabilidade na nossa produção.
Graduanda em Zootecnia UFRA / PARAGOMINAS.

Zootecnia em foco: Como zootecnista, você atua em qual área? Por que optou por essa área?
Dra. Kênia Rodrigues: Eu sou professora de Avicultura. Esta opção foi pela maior facilidade de acesso ao mercado para mulheres na região sudeste. Logo depois do mestrado, escolhi a carreira docente e vim para o Tocantins em 1994, atuando sempre na área de avicultura alternativa, por ter uma grande demanda devido aos hábitos culturais da região norte do país.

Zootecnia em foco: Qual o cenário da avicultura da região norte do país?
Dra. Kênia Rodrigues: A avicultura na região não tinha demanda, a vinte anos atrás, mas nos últimos dez anos este cenário se modificou e algumas integradoras de porte se instalaram na região. Hoje temos um abatedouro com capacidade de abate de 160 mil aves dias trabalhando abaixo de sua capacidade. A avicultura tem se expandido e deverá ser triplicado o número de aviários no norte e nordeste. O avanço da produção de grãos na fronteira do MATOPIBA será o grande celeiro de grãos a ser transformado em proteína animal em nossa região.

Zootecnia em foco: Qual a importância da atuação do zootecnista na Avicultura?
Dra. Kênia Rodrigues: A cadeia da avicultura e o aumento do consumo de carne de frango é uma área excelente para o Zootecnista. Todo o desenvolvimento alcançado da área de melhoramento genético, nutrição, ambiência e bem estar animal tem o Zootecnista como um dos principais atores no apoio técnico, infelizmente as regulamentações federais não reconhecem isso não permitindo ao Zootecnista ser Responsável Tecnico – RT das granjas avícolas, mas esta é mais uma luta da categoria que acredito que venceremos pois a eficiência de nosso trabalho é sentida pelos produtores e eles demandaram novas regras para a continuidade do sucesso desta cadeia.

Zootecnia em foco: Quais são os maiores desafios para o desenvolvimento dessa atividade em nossa região?
Dra. Kênia Rodrigues: Temos hoje como desafios a questão da cama de frango, matéria prima e cuidados na sua utilização após retirada do aviário; Trabalhos na área de ambiência, capacitação de mão de obra para atendimento a cadeia; Organização dos produtores e negociações adequadas entre Integradora e Integrado; Abertura de novos mercados; Biosseguridade na cadeia avícola.