Embrapa investe na qualificação de produtores de leite orgânico no RS

04/01/2014 14:50

Curso para produtores sobre o assunto foi realizado em Erechim, no Norte.
Atualmente, leite orgânico representa 0,02% da produção láctea no país.

Do G1 RS
 

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) investe na qualificação para a produção de leite orgânico, como mostra o programa Campo e Lavoura, da RBS TV (confira no vídeo). Atualmente, são produzidos no Brasil 6,8 milhões de litros de leite orgânico ao ano, o equivalente a 0,02% da produção anual do alimento. Um curso para os produtores sobre o assunto foi realizado em Erechim, no Norte do Rio Grande do Sul.

"Oitenta por cento do controle de mastite é feita com a simples higiene da ordenha, então a combinação de um controle estratégico de higiene na ordenha com um conjunto de medicamentos homeopáticos e fitoterápicos podem funcionar para a produção orgânica de leite", explica o zootecnista da Embrapa João Paulo Guimarães Soares.

O leite orgânico comercial pode ser produzido por ovinos, bubalinos e caprinos, tanto para consumo in natura quanto industrializado. A intenção da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater-RS) é difundir as informações do curso para outras regiões do estado e estimular a produção de leite orgânico.

"Fazer uma difusão a nível de estado do Rio Grande do Sul vai ao encontro das diretrizes de produção que a Emater hoje tem fortalecido em termos de empresa, no sentido de buscar sustentabilidade aos processos produtivos", diz o engenheiro agrônomo Valmir Dartora.

"Temos um rodízio de 40 piquetes para quebrar o ciclo do carrapato. O carrapato vive 20 e poucos dias, e precisa de sangue depois disso. As vacas não estão em cima do pasto, e ele acaba morrendo", explica Valdecir.O agricultor Valdecir Bertotti, que participou do curso, conta que já segue algumas práticas exigidas para a produção de leite orgânico. Os ubres são muito bem lavados antes da ordenha, e não são usados antibióticos, hormônios e inseticidas. O tratamento de parasitas como carrapato, por exemplo, é combatido com um pó fitoterápico, e os animais se alimentam em diferentes piquetes de pastagem.

A alimentação dos animais também é um ponto importante. Para garantir um leite 100% orgânico, o próximo passo para o produtor é mudar a forma de cultivo do pasto que é oferecido aos animais. Hoje o alimento ainda tem resíduos de adubos químicos e ureia. No ano que vem, a intenção é substituir esses produtos por matéria orgânica. "É em torno de 30, 40% a mais que o valor de um tradicional", estima.