Custo da energia elétrica corrói ganhos nas granjas e indústrias

25/11/2015 12:56

Gazeta do Povo

Mesmo consolidando um aumento na produção e nas vendas em 2015, a cadeia da avicultura tem os ganhos corroídos pela alta da energia elétrica. O dilema começa nos aviários, que mantêm em operação constante equipamentos eletrônicos para a climatização das granjas e a alimentação dos animais.

“Até agora os produtores estão arcando sozinhos com esse gasto extra, pois não foi possível recuperar o custo [nas cotações do frango]. Isso está corroendo a margem dos avicultores”, lamenta o avicultor e diretor secretário da Associação dos Avicultores do Norte do Paraná (Avinorte), Jean Pazinato.

Custo maior

Em algumas regiões, o ponto de equilíbrio entre receitas e despesas para os criadores subiu de R$ 0,59 por quilo para R$ 0,73/kg, puxado em grande parte pela alta nas tarifas. O aumento é de 23,73%.

O dilema segue até a indústria, que também opera sob pressão. A despesa já assume uma fatia maior na proporção de custos operacionais do setor. “Nunca se gastou tanto para produzir um frango. As indústrias estão gastando em média 15% a mais neste ano e isso afetou a lucratividade do negócio”, o detalha o diretor industrial da Guibon Foods, de Cianorte (Noroeste), Hugo Bongiorno. (IC)