Cuidados no transporte de aves e suínos

04/02/2013 09:09

Osmar Dalla Costa, zootecnista pesquisador da Embrapa Suínos e Aves, alerta para alguns cuidados que se deve ter para que o transporte dos animais ocorra de maneira correta. É necessário ter um caminhão em boas condições. O responsável pelo transporte deve fazer todas as manutenções preventivas. Em segundo lugar, a documentação de transporte como guia de GTA e documentação fiscal, deve estar presente.

É preciso fazer um cronograma de viagem com informações sobre o horário de chegada à propriedade para embarcação dos animais, quantos animais serão embarcados, qual o percurso que será feito da granja até o frigorífico e se existem rotas alternativas no caso de más condições de tempo.

Treinamento e força física são fundamentais para quem vai retirar as aves dos galpões de criação para o abate. Este é um momento bastante dinâmico, pois constantemente pessoas entram e saem dos galpões carregando os frangos até o caminhão de transporte, sendo necessário bastante esforço e agilidade por parte dos trabalhadores.

Em relação ao transporte de suínos, no momento de transferência dos animais da granja até o caminhão, se recomenda que eles sejam manejados com calma, com uso de equipamentos apropriados e sempre com lotes pequenos, ou seja, entre dois e três animais. Já no transporte, é recomendada uma densidade máxima de 230 kg/m².

Em viagens longas o motorista deve parar o caminhão em locais adequados para que os animais não fiquem expostos a condições adversas, como o sol, que em épocas de verão pode ocasionar queimaduras de pele no animal.

Se a permanência dos animais for por um período muito longo, paradas regulares são recomendadas para que se molhem os animais, principalmente em épocas mais quentes. Em viagens que durem entre 10h e 12h é preciso fornecer água aos suínos. De modo geral, os animais não devem viajar por um período superior a 24 horas.

O transporte adequado tem um impacto favoravelmente na qualidade da carne, diminuindo a incidência da carne PSE (pálida, mole e exsudativa) e DFD (escura firme e seca).

Em relação ao transporte das aves alguns cuidados devem ser adotados, durante a pega, para que as lesões e traumas nas aves sejam minimizados. Um passo muito importante é treinar de forma adequada os funcionários envolvidos na apanha. Cada pessoa envolvida neste processo deverá saber exatamente a função que vai desempenhar e conhecer bem suas responsabilidades. Se possível, todos deverão seguir instruções detalhadas passadas previamente.

As aves devem ser colocadas dentro das caixas de transporte da forma mais cuidadosa possível. Se jogadas de forma brusca podem sofrer danos e fraturas. As caixas carregadas com as aves devem ser manejadas de forma cuidadosa, para evitar solavancos demasiados, ou que as mesmas escapem no momento da formação da carga na carroceria do caminhão.

Fonte:  Portal Dia de Campo