Com a chegada da estiagem, Embrapa alerta sobre importância do uso da ureia

06/07/2014 16:33

Substância descoberta no século 18 revolucionou a agricultura (Foto: Divulgação/Assessoria)Substância descoberta no século 18 revolucionou a agricultura (Foto: Divulgação/Assessoria

No período de estiagem, a ureia serve como matéria prima para reforçar a dieta do rebanho bovino. Descoberta no século 18, a substância orgânica revolucionou a agricultura e se tornou o primeiro adubo produzido quimicamente e a principal fonte de nitrogênio da atividade agrícola. Alerta da Embrapa Gado de Corte lembra que neste início de inverno, onde bois engordados a pasto apresentam fraco desenvolvimento, o manejo adequado de pastagens pode aumentar a produção e fazer com que o produtor tenha melhores ganhos.

Conforme a entidade, a substância estimula o aproveitamento das forrageiras de baixa qualidade e acrescenta proteína na dieta dos animais resolvendo dois problemas típicos da estação. Além disso, seu custo é baixo e sua utilização é simples. Com tal relação custo-benefício, a variação de uso se torna flexível.

O composto orgânico pode ser adicionado ao sal mineral, volumoso ou concentrado. Porém, antes disso, o produtor deve misturá-lo ao sulfato de amônio, na proporção nove partes de ureia para uma parte de sulfato. Feito isso, está apto a outras combinações.

Com sal mineral, a divisão é meio a meio. Metade ureia, metade sal, com troca a cada três dias para evitar empedramento. Para o zootecnista Haroldo Pires, da Embrapa Gado de Corte, uma das recomendações é incluir fubá na mistura. Isso prolonga “a vida útil do material, melhorando sua consistência e impedindo o empedramento”, aconselhou. A composição da fórmula prescrita é uma parte de fubá para duas de sal mineral e duas de ureia.

O zootecnista ainda ressalta que a utilização da substância é sugerida em todos os períodos de seca. No verão, o pasto tem 10% de proteína e o gado precisa, no mínimo, de 6%. Na estação fria, a proteína do capim cai para 2% e o bovino perde peso, mesmo com reforço, a qualidade não é elevada.

“O animal tem acesso a um valor insuficiente de forragem e no máximo mantém o peso ou o perde, vagarosamente, no inverno. Se o pecuarista oferecer a ureia no sal, dieta arroz com feijão, terá garantido 100 gramas de ganho de peso por dia em um período crítico”, garantiu o especialista.