Cenário econômico afasta investimentos em máquinas

01/04/2016 16:47

Queda nas vendas tem sido agravada pelas incertezas econômicas no País. Aluguel e compra de usados surgem como opções

Alisson Freitas

O cenário não é nada promissor para o mercado de máquinas agrícolas no Brasil. De acordo com dados da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), em fevereiro as vendas internas de máquinas agrícolas e rodoviárias recuaram 36,5% em relação ao mesmo período do ano passado.

Segundo especialistas, a queda da comercialização está atrelada à instabilidade econômica do País, o que faz com que os produtores pensem duas vezes antes de colocar a mão no bolso. Vale ressaltar que mesmo com das vendas os preços se mantêm no mesmo patamar.

Pecuária - O zootecnista e consultor de mercado da Scot Consultoria, Alex Lopes, destaca que, geralmente, a aquisição de maquinário nunca está entre as prioridades dos pecuaristas, ou seja, é uma das primeiras coisas a serem cortadas na redução de gastos. “A pecuária trabalha com veículos que, em sua maioria, não são utilizados constantemente e chegam a servir por mais de 10 anos nas fazendas. Sendo assim, o produtor posterga ao máximo os seus investimentos nesse segmento”, destaca. “A exceção é quando as máquinas já estão velhas e começam a impactar negativamente a sua produção”, acrescenta.

Mesmo quando surge a necessidade de renovar o maquinário, o pecuarista ainda tem outra opção antes de fazer novas aquisições. “Em diversas regiões do País existem diversas empresas que alugam máquinas, o que quase sempre é bem mais interessante do que investir em uma nova máquina própria”, explica Lopes.

Agricultura - Na agricultura, a necessidade de investimentos para renovar o maquinário é mais constante, mas o atual cenário também tem deixado os produtores apreensivos, principalmente pelo fato de trabalharem com preços em moeda estrangeira. “Tivemos boas colheitas nas últimas safras, mas os custos também subiram muito. Creio que eles só investirão se estiverem capitalizados e necessitando muito de inovações tecnológicas”, avalia José Paulo Molim, professor da Área de Mecânica e Máquinas Agrícolas da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq/USP).

Molin também cita uma alternativa que pode fazer com que os produtores rurais reduzam seus gastos com maquinário. “Em função do mercado de novos plenamente aquecido, a oferta de usados cresceu nos últimos anos. Se na hora de avaliar o negócio o produtor chegar à conclusão de que a compra realmente é necessária, por que não considerar a opção de adquirir uma boa máquina usada?” 

Fonte: Portal DBO