Não há necessidade de pânico por preços dos alimentos, diz FAO

13/09/2012 18:04

O diretor da Organização para Agricultura e Alimentação das Nações Unidas (FAO) disse nesta quinta-feira que não há necessidade para pânico em função dos altos preços globais dos alimentos, acrescentando que o relatório dos Estados Unidos sobre o cenário para sua safra de milho mandou uma "mensagem muito boa"

O diretor-geral da FAO, o brasileiro José Graziano da Silva, disse em conferência em Istambul que não vê necessidade, no momento, de convocar um fórum de emergência do G20 sobre os preços dos alimentos.

"Mas essa é uma decisão que precisa ser considerada de semana a semana. No momento, os preços estão muito voláteis e estamos monitorando de perto", disse ele.

Os temores de uma repetição de revoltas e fome vistas na crise alimentar de 2007/08 emergiu com a pior seca nos Estados Unidos em mais de meio século, e persistentes secas em outros países produtores de grãos, que levaram os preços do milho e da soja a sucessivas máximas recordes.

No entanto, o Departamento de Agricultura norte-americano (USDA) reduziu na quarta-feira sua estimativa para a safra de milho do país em menos de um por cento, indicando que a pior seca na região do Meio-Oeste em 56 anos pode ter tido menos impacto do que o esperado.

A previsão elevou as esperanças de que uma situação de emergência alimentar poderia ser evitada.

Diversos membros do G20 consideraram a necessidade de uma reunião do Fórum de Resposta Rápida, criado no ano passado para responder às condições anormais do mercado.

A França, que preside o órgão de Agricultura do G20, o Amis, havia dito que qualquer decisão sobre a convocação do fórum seria tomada após o relatório de grãos do USDA, divulgado na quarta-feira.