A importância da assistência técnica na produção animal

12/02/2016 11:24
 
MilkPoint - O ponto de encontro da cadeia produtiva do leite
 
Antigamente era praticamente impossível obter um frasco plástico para armazenarmos um líquido, uma vez que o plástico praticamente não existia tão facilmente assim. Hoje, porém, o plástico, que podemos aqui exemplificar como a garrafa de refrigerante, é facilmente encontrado e por isso o utilizamos para tudo praticamente. 

Comparativamente, nos dias de hoje, é muito fácil produzirmos uma vez que o acesso a tecnologia é mais fácil que antigamente. Já mencionei por aqui que “nossos avôs andavam algumas horas para chegar até a cidade, para trocar muitas vezes alimentos básicos como feijão, arroz e milho por produtos manufaturados dentre eles, vestimentas e artefatos metálicos”.

A partir daí já se buscavam melhorias em tecnologia. A mais básica era comprar uma vaca melhor não se preocupando com alimentos para esta vaca. Assim sendo, quanto maior o número de vacas, maior e mais importante era o produtor, caracterizando dessa forma um “status”. 

Bom, se os preços vem caindo e os custos aumentando, como posso trabalhar sem eficiência? Será que conseguimos? Neste momento, objetivo o meu discorrer sobre o assunto: “buscar ajuda". Se tudo anda mais ou menos é porque preciso melhorar! Não podemos mais nos prender ao "achismo". 

Hoje no cenário nacional temos muitos cursos formadores de técnicos e aqui menciono principalmente três: Agrônomos, Médicos Veterinários e Zootecnistas. Não mais ou menos importante quero focar aqui no que mais se relaciona comigo, ou seja, a Zootecnia. Esta para mim, é uma brilhante profissão, pois cuida dos aspectos produtivos enfocando na produção e na nutrição animal associadas ao manejo e melhoramento genético. Logicamente temos que defender uma bandeira que resumo em produzir sempre mais, mas, com eficiência. 

Enfatizo que para produzir, precisamos saber produzir. Se eu quiser ter boa saúde eu preciso ter boas práticas de saúde e procurar um médico ou um profissional para obter isso. Se você quiser dinheiro emprestado, geralmente irá ao banco. Se você quiser água, vai a fonte. Se quiser produzir com eficiência, busque um técnico. 

Na produção agropecuária, novas técnicas são lançadas quase que diariamente, pois inúmeros são os trabalhos conduzidos nas academias de pesquisas que por sua vez preenchem as lacunas faltantes no aspecto produtivo. Pois bem. Os trabalhos lançados não são para pesquisadores, e sim para produtores. Poucos tratam de técnicas que auxiliam a pesquisa, mas sim, quase que em totalidade, focam os produtores para que estes venham a produzir, mais por menos. 

Se tomarmos como exemplo o lançamento de capins (que já falei por aqui que não existem capins milagrosos) o objetivo é que eles sejam mais resistentes, precisem de menos nutrientes e produzam mais. Como exemplo, temos um capim chamado Colonião (Panicum maximum) “parente” do Mombaça, capim muito utilizado nos dias de hoje. Mas porquê não utilizamos mais o Colonião já que ele está nas beiras de matas e rodovias por todo o país? Simplesmente porque lançaram um capim melhor (não milagroso) mas melhor que ele. A assistência técnica deve passar essa informação ao produtor ou ainda dizer a ele como ele pode melhorar o Colonião, caso o produtor o utilize. 

Outro exemplo que temos é o Tifton e o Coast Cross, capins do gênero Cynodon e que se multiplicam por muda. Então, lançaram outro capim chamado Vaquero que se multiplica por semente para substituir os dois anteriores e de fato, podemos notar que a substituição não vem ocorrendo. Não é porque um capim é novo que deve ser utilizado, pois ele também tem os seus problemas, suas qualidades e indicações e isso um técnico poderá te responder. Mas, ai vem as perguntas: "se ele se multiplica por semente, a implantação não é mais fácil?" Sim, verdade, mas e os outros aspectos? O que pode ser bom para algo, pode não ser bom em outro aspecto. 

Com relação a esse assunto, deixo aqui a informação que todo e qualquer lançamento de cultivares, produtos ou afins no mercado deve ser feito por empresas e devem ser apresentados testes, ou ainda trabalhos científicos que garantam a eficácia do produto. Lançar um produto é fácil e também é fácil perder este produto, pela baixa aceitação dele. Um carro que é lançado na televisão pode ou não ser bom para mim.

Canso-me às vezes quando ouço produtores comprando inúmeros produtos e se enchendo de dívidas e um técnico não foi solicitado e vejo que aquele produtor perderá dinheiro. Neste momento insiro no assunto: quanto custa uma assistência? Não irei falar de valores aqui, mas sim, do mérito de um bom profissional. Certa vez um técnico foi chamado para arrumar um aparelho e ao chegar na casa do cliente, retirou do bolso uma chave de fenda e apertou um parafuso na parte de trás do aparelho, este que voltou a funcionar. O dono do aparelho então perguntou: Quanto fica? O técnico disse: Mil reais. O dono do aparelho pediu então a descrição do serviço e na nota constava: "aperto de parafuso: um real e saber qual parafuso apertar: 999 reais. Agora eu lhe pergunto, foi caro não? Mas sem o técnico o aparelho funcionaria?

Como gosto muito de contar causos, um dia fui a uma propriedade rural e chegando lá me deparei com um problema. Por coincidência e pela nossa vivência, foi um problema de fácil resolução e então foi logo resolvido. Porém quero aqui adiantar que o produtor me disse algo intrigante e que me deixou feliz. Ele me disse assim, rindo: "Chamei você aqui para uma coisa e resumindo, você evitou que eu gastasse, desnecessariamente, 12 vezes o valor da sua assistência”.

Resumo este texto dizendo que todos devem procurar apoio técnico para PERDER MENOS. Sim, perder menos. Busque informação e a confirme. Logicamente existem picaretas e mal intencionados andando por aí. Existem também assaltantes que retiram grande parte do lucro, mas existe o verdadeiro técnico aquele treinado e composto por ética e responsabilidade e que fará o serviço correto. Para finalizar, buscar informações nem sempre custa ao produtor. Muitas vezes ela vem de graça e fácil, com a tecnologia que temos nos dias de hoje. Leia, pergunte, se informe e produza. Temos nos dias de hoje toda e qualquer condição para isso. Lute talvez por associações, ou seja, um produtor não consegue pagar um técnico, mas dez podem conseguir. Assistam palestras e façam cursos. Chame um técnico. Para finalizar, não podemos deixar de ir a lugares. Podemos ir a pé, de bicicleta, carro, avião de trem, até de táxi, mas não vamos pedir carona para o taxista, pois ele precisa trabalhar.